was successfully added to your cart.

Desentulhando a vida

By 2 de julho de 2017Filosofia de vida

E nessa pegada de deixar as coisas mais simples, mais fáceis, com mais sentido, eu passei a exercitar algo muito difícil para mim: ter menos. Vindo de uma família que guarda – guarda T U D O – Me desfazer das coisas nunca foi muito fácil. É aquela calça jeans que um dia ainda vai servir, aquele porta retratos que ganhei no aniversário de 13 anos, aquela bandeirinha que trouxe da viagem x, y, z…. Nossa! Um dia eu ainda vou usar… Aham!

Graças a Deus existe esse recurso lindo chamado I N T E R N E T, através da qual eu posso expor minhas ideias, assim como milhões de outras pessoas também. Pessoas em jornadas similares à minha, ou simplesmente que são muito mais essencialistas que eu por natureza. E eu fui atrás de dicas, de ideias de como fazer esse processo no meu guarda roupas, no meu quarto, na prateleira de livros, na gaveta do banheiro e até mesmo no meu armário da cozinha haha.

2015 foi um ano incrível. Foi o ano em que eu, tirando muita coisa na frente, consegui chegar mais perto do que realmente importa. Ainda tem muita coisa para dar, trocar, jogar fora, tirar da frente, coisas materiais e coisas aqui dentro, mas o pouco que ja se foi me permitiu dar espaço para as coisas especiais.

Afinal, nada melhor que olhar seu guarda roupas e ver que todas as peças ali estão lindas e ficam bem em mim, combinam entre si, são de boa qualidade e eu uso com frequência. Nada melhor que procurar as coisas e encontrar. Nada melhor que olhar em volta e não se sentir soterrado de coisas – tralhas mesmo.

2016 trouxe consigo muito aprendizado e auto conhecimento. Foi um ano de me voltar para dentro, portanto, me desfazer do que está do lado de fora e não sentir tanta necessidade vontade de coisas novas foi se tornando cada vez mais natural.

2017 tem trazido consigo uma consciência mais profunda da vida, das relações… Afinal, depois de me apresentar a mim mesma e começar a me conhecer, descobri em mim mesma uma excelente companhia! Tenho recebido de forma calorosa os momentos que tenho para ficar sozinha, assim, só eu – e os gatos – de celular e computador desligados.

É natural que as experiências passem a ter muito, mas muito mesmo, mais valor que as coisas. É um processo lento, mas não precisa e, na minha opinião, não deve ser doloroso.

Também não é jogar suas coisas todas fora. É dar um destino melhor ao que sobra para você, pois com certeza está faltando para alguém. É também não acumular o desnecessário, pois ele só sufoca e desvia sua atenção do que realmente importa: você, sua família, amigos, bichinhos e as experiências que vocês tem juntos.

Desentulhar a casa, a mente e depois a alma. Um dos meus lemas de vida que cada dia mais se fortalece e vira hábito.

5 dicas para você se inspirar e desentulhar a vida

 

Agora vou deixar aqui em baixo 5 dicas de conteúdo bacanas sobre declutering para você se inspirar. São as 10 coisas que mais me marcaram, colhidas por aí ao longo do tempo. As que ajudaram a construir a forma como penso hoje, portanto, a pessoa que sou e a que venho me tornando.

Espero que goste! É de coração.

  1. A jornada de 21 dias para o minimalismo, do blog The Minimalist
  2. O Projeto 333 para um guarda roupas consciente e suficiente, do blog Be more with less
  3. O conceito das Tiny Houses. Não é algo que neste momento da minha vida eu aplicaria (ok, eu já moro em 4 – dois humanos e dois felinos – em um apê de 53m2), mas mudou minha forma de ver a questão necessário X funcional
  4. Esta foto aqui, já que eu divido um armário de 2,80m mais uma cômoda com meu marido e é isso que temos e mais nada e eu cansei de ver tudo entulhado e bagunçado, já que este mesmo armário não tem portas
  5. As seguintes dicas (que eu sinceramente não sei a referência, talvez sejam várias….):
    • Sempre que for de um cômodo a outro da casa, se houver algo que possa levar consigo para guardar, já leve e guarde;
    • NUNCA acumule louça na pia;
    • NUNCA acumule roupa para lavar ou passar;
    • Se tem algo que precisa ser feito e que levará menos de 2 minutos para ser feito, já faça na hora e se livre daquilo;
    • 15 minutos de organização diária. Faça um mutirão de 15 minutos com quem mora com você (se você mora sozinho talvez seja mais fácil ainda já que é bagunça de 1 só! haha) para colocar as coisas no lugar. Não limpe nada, só organize;
    • Controle o tempo de organização com música! Tudo fica mais divertido e o tempo passa mais rápido com uma boa trilha sonora;
    • Na hora de tirar coisas, primeiro esvazie o armário (por exemplo) e coloque todo o seu conteúdo em uma lugar em que fique visível (a cama por exemplo). Só coloque no de volta no lugar o que tem certeza de que quer que fique. O que tem certeza de que deve retirar, retire e já organize o destino (lixo ou doação), no caso de doação, já coloque perto da porta e na primeira vez que for sair já leve consigo. O que você tem dúvida, e aqui vai o pulo do gato, guarde em uma caixa ou mala. Deixe lá por 3 meses e depois abra. Se tiver alguma coisa que faça falta nesse tempo, vai lá e tira da mala, o restante, te garanto que teu apego por aquelas coisas todas vai ter diminuído ao você perceber que pode passar 3 meses sem nem sentir falta delas e vai ser muito mais fácil de simplesmente dar tudo embora.
    • Por fim, para acabar com chave de ouro, só tenha coisas que te fazem feliz e não tenha medo de machucar os sentimentos de ninguém se você não gostou de um presente. Quem vai ter que olhar para aquele badulaque esquisito todos os dias em cima da sua estante é você, não a pessoa que te deu.

Leave a Reply